[RESENHA] Esmeralda - Zíbia Gasparetto - Quatro Estações [RESENHA] Esmeralda - Zíbia Gasparetto - Quatro Estações

[RESENHA] Esmeralda - Zíbia Gasparetto

Um livro para refletir e aprender como nossas escolhas afetam nossa vida


Esmeralda era orgulhosa e absoluta. O mistério maravilhoso de sua dança arrancava olés e aplausos acalorados. Sempre desejada, despertava grandes paixões. Ma não amava ninguém, nem se importava com a dor dos seus apaixonados. Um dia, porém, Esmeralda encontrou um amor que arrastou consigo o seu destino...
A vaidade tem um preço que o orgulho cigano sempre paga. E todas nós, mulheres, temos um pouco de Esmeralda.
Religião e Espiritualidade  Editora Vida & Consciência • 442 Páginas • Classificação: 4/5
Skoob • Compre: Amazon


Nesta narrativa eletrizante da cigana Esmeralda e do fidalgo Carlos, é possível conhecer um pouco do mundo cigano conhecendo melhor seu modo de vida e seus costumes. É um povo diferenciado que se ajuda, um tipo de comunidade alternativa com costumes diferentes da sociedade convencional.

Através desta história ditada pelo espírito Lucius, podemos ver como nossas escolhas conscientes podem mudar nossas vidas e dar um rumo diferente. Mas, por vezes, temos a tendência de cair nos mesmos erros e escolher novamente aquilo que nos faz sofrer.

A leitura deste livro, bem como o dos outros da Zíbia Gasparetto, nos traz a luz da consciência. Quando leio livros com estes temas, tenho a sensação de ser a observadora. Diferentemente de um livro que não é deste tema, que não trata a parte energética, ou seja, a espiritual e material como um todo, fica faltando uma parte, o que não acontece quando os livros tem temática espírita, onde o leitor participa da história em sua totalidade.

Esmeralda é do povo cigano, se expressa através da dança, impetuosa e sedutora. Ela é a "menina dos olhos" de Miro, que faz todas as suas vontades. Sua super proteção com Esmeralda a deixa mimada, ou seja, não suporta ser contrariada e não obter aquilo que quer. De personalidade forte, não tem amor a nada nem a ninguém, só aos seus desejos e mimos, sempre tentando conseguir aquilo que quer, e se não consegue, se vinga.

Aprendes a ter paciência com as coisas que não podes mudar. Essa é a sabedoria da vida.

A história se passa na Espanha, uma época em que não poderia ser melhor com todo seu feudalismo e a famosa inquisição: a idade média.

Dom Carlos, jovem fidalgo, quer apenas curtir as coisas boas da vida, aproveitar sua juventude com boas festas, mulheres e vinho. Voltando para casa, encontra-se com Esmeralda e encanta-se por sua dança e paixão. Por sorte ou azar (coisas que não existem, tudo já está programado para acontecer), a cigana corresponde ao momento de paixão e Dom Carlos embarca em uma grande aventura com os ciganos. Mesmo temeroso, por se tratar dos ciganos e sua "fama", ele segue viagem com eles e vive de acordo com seus costumes. Os ciganos viajam de acordo com as estações e festividades.

Os sinais de que este relacionamento é fadado ao fracasso e a tragédia não são poucos. Mas o que começou em outra vida e não terminou, o Universo une novamente para tratar de assuntos inacabados, dando nova oportunidade de sublimar sentimentos densos e negativos.

Quando o doente recusa o remédio, jamais chega a curar-se.

A paixão que os consome não é pouca, não conseguiam se ver separados, mas as diferenças sociais e até mesmo as crenças eram deixadas de lado enquanto estavam juntos. Mas com o tempo, a consciência de Carlos começa a pesar, ou seja, alertar, que ele havia abandonado seus pais e que era o único herdeiro. Dom Carlos tem compromissos familiares e sociais que não dava para adiar muito mais tempo, tendo que assumir suas terras. Eis que então, chega o momento da escolha: o amor da cigana ou sua posição como senhor feudal?


No geral, o livro não se resume apenas a isso. Nos traz muita reflexão quanto a nossas escolhas afetivas (amor e paixão - amor desenfreado), uma história com muitas intrigas, vingança e como as escolhas em cada vida é importante e principalmente, como somos 100% responsáveis por tudo quanto nos acontece. Colhemos exatamente o que plantamos. A importância da consciência em cada momento para não cometer os mesmos erros.

Uma leitura vibrante e empolgante que nos surpreende em muitos momentos, com um conteúdo bastante rico culturalmente falando, sobre tradições do povo cigano e um desfecho surpreendente... Assim como eu, você vai descobrir e constatar que todas as mulheres, sem sombra de dúvidas, possuem um pouquinho de Esmeralda.

Se você não é da doutrina espírita, assim como eu, pode ler este livro e levar como uma ficção, afinal, o tema não é abordado com frequência, muitas das vezes nem parecia que eu estava lendo um livro com esta temática.

A alegria é precioso remédio tanto para as feridas do corpo como para as da alma.

E a capa me chamou totalmente a atenção, linda e muito bem trabalhada, com aquele ar de mistério que eu adoro.

Não foi minha primeira leitura sobre esta temática, mas sim a primeira da autora Zíbia Gasparetto, e gostei muito, de fácil entendimento e bem atual. Já tenho muitos outros dela na minha lista, aguardem novas resenhas literárias.

Super recomendo!

Aviso de propriedade: Todos os conteúdos do Quatro Estações são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto pode ser usado sem a permissão expressa, mesmo citando a fonte.

Nenhum comentário

Postar um comentário

JUNTE-SE A 2.797 PESSOAS. Inscreva-se na nossa lista VIP para receber o conteúdo no seu e-mail gratuitamente.

Acompanhe pelas redes